segunda-feira, 21 de novembro de 2011

Maria Sabina em um Ritual Yagé


Meu nome é José Antonio conhecido no meio da religião afro como Odédemim sou filho de Odé com Oxum Carê

Foi no dia 5 de novembro de 20011 (madrugada do dia 4 para o dia 5) que em uma reunião de uma roda de cura (roda de Yagé - Irmandade Polimata) que eu estava ao redor da fogueira e ao me sentir envolvido por uma força e fui me sentindo fora de meu corpo físico ,eu via o meu corpo ao lado da fogueira  que permanecia ali sentado em cima de uma esteira ,era algo que apenas uma vez aconteceu comigo em outro ritual de magia em 1984,após sair em uma Viagem astral (Espírito fora do corpo ),tive uma experiência também muito fantástica ao me deparar diante de uma figura que eu não conhecia,mas sabia quem era.

Eu estava ao lado da fogueira cercado por varias entidades espirituais no total eram 16 entidades, uma das quais me chamou a atenção era uma senhora de estatura pequena trajando um manto vermelho ( um ponche )com detalhes em preto,ela sorria para mim um sorriso que me trazia uma calma e uma certa angustia misturada com a certeza de já a ter conhecida,era ela  Maria Sabina, Maria Sabina Nasceu em Oaxaca, no México em 1896 e viveu até 1985. Esta mazateca (Mazatecas são um povo indígena de uma região do estado de Oaxaca, no sul do México,) é conhecida mundialmente pelo seu trabalho com Teonanácatl (Psilocybe Mexicana) é um cogumelo conhecido como " Carne de Deus". Ela utilizava os cogumelos sagrados na cerimônia chamada " Velada"
E como nossa reunião era uma  Roda de Cura e estávamos em um ritual Yagé lá estava uma entidade a mulher que tinha em vida o poder e a sabedoria de um verdadeiro xamã , Maria Sabina chamava os cogumelos de " meninos santos " . Ela dizia – Eu na verdade nascí com o destino de Ser sábia. Sou a  filha dos meninos santos.E que os cogumelos são santos, dão sabedoria. A sabedoria é o verbo.ela permaneceu  ali ao lado da fogueira apreciando como que fiscalizando o ritual e os trabalhos que  ali  estavam sendo realizados ,como em vida ela me parecia uma pessoa um tanto que séria e sisuda ali ela se apresentava sempre com um sorriso nos lábios e um ar de satisfação,então assim como ela apareceu no silencio do tambor e no calor do fogo sagrado ela se foi para a outra dimensão,me deixando ainda com a curiosidade de conhecer e de saber quem era aquela senhora  que me causou tanta admiração.Nesta época em que vivemos e fácil digitei Maria Sabina no browser  do meu Google chrome e lá estava ela a minha ilustre aparição em um Ritual Yagé.

Nenhum comentário: