quinta-feira, 19 de maio de 2011

CARTAS TATTWAS

TATTWAS:

São as figuras geométricas que a umbanda esoterica da correspondecia a cada Exu, a cada uma das sete vibrações, bem como o elemento. acreditam que os Exus precisam destes Tattwas o que é para nós a água, o ar para sobrevivermos, o Tattwa acreditam ser  vital para a suas existências.O Sistema Tattwa é um método de utilização dos sí­mbolos gráficos orientais representantes dos cinco elementos (éter/Akasha, Fogo, agua, Ar e Terra). 

Funciona da seguinte forma...usa-se o desenho pertinente como forma de meditação e expansão da mente - transformando-se, mentalmente, o desenho em um portal, daí­ penetrando indo mentalmente, em outras dimensões. 

è um ótimo método de auto-iniciação. 

Esse Sistema possui 25 cartas diferentes (chamadas cartas tattwa), cada uma com uma figura em especí­fico que pode ser usada para meditaçao. 

como aconteceu com as cartas do Taro as cartas de Tattwa é usada por varias correntes Magisticas ou espiritas.

AKASA seria a forma mais pura ou tênue do elemento em questão, a natureza integral do espírito — sua essência mais elevada. Vayu de Akasa se referiria a sua qualidade aérea; Tejas de Akasa, seu aspecto fogoso e dinâmico; Apas de Akasa, é a sua fase fluídica e aquática, ainda que Prithivi de Akasa, seria sua fase mais terrestre, o aspecto de seu poder que mais estreitamente entre os demais está em contato com a terra. A mesma divisão quíntupla, na mesma ordem, se aplica igualmente aos demais elementos.
Acredita-se que cada Tattwa ou corrente de força existe potentemente durante determinado período de tempo, e que ao final do mesmo desemboca-se no Tattwa seguinte, segundo a ordem dada anteriormente. Quando a corrente de Prithivi se esgota o ciclo volta à Akasa e continua na mesma ordem durante os primeiros períodos de tempo

 

Nosso corpo etérico está formado de tattwas. Os tattwas e os chacras estão intimamente relacionados. Os tattwas penetram nos chacras e logo passam ao interior das glândulas de secreção interna. Dentro das glândulas os tattwas intensificam o trabalho desses minúsculos laboratórios endócrinos, transformando-se em hormônios.

Os tattwas entram no organismo, porém não saem mais dele. Os tattwas se transformam também em genes e cromossomos que mais tarde se transformam em espermatozóide.

“Tudo sai do éter, tudo volta ao éter.”

O éter é a condensação de uma substância chamada Akasha. Essa substância é a primeira radiação da raiz Mulaprakriti, ou matéria primordial insípida e indiferenciada, conhecida entre os alquimistas como Ens Seminis (a entidade do sêmen).

 

 TEJAS = o fogo um triângulo vermelho.

 PRITHIVI = a terra um quadrado amarelo

 APAS, a água, por uma meia lua prateada

 VAYU, o ar, por um círculo verde azulado

AS "TATTWAS-MÃES": TEJAS, PRITHIVI, APAS, VAYU e AKASA

A Golden Dawn costumava empregar as cores (dizem que com muito sucesso) como “chaves para abrir os portais da mente”. Para tal costumavam usar os “Tattwas”, figuras geométricas utilizadas também em algumas escolas tântricas indianas para simbolizar os elementos TERRA, AR, ÁGUA, FOGO e AKASA; este último termo traduzido como “Espírito”, embora pareça ter mais em comum com a chamada “LUZ ASTRAL” de Lévi, do que com a tradução usual do Ocidente para a palavra “Espírito”.

Os TATTWAS são cinco e costumam ser representados sempre do mesmo jeito. TEJAS, o “fogo” é figurado por . , APAS, a água, por uma meia lua prateada em posição horizontal, VAYU, o ar, por um círculo verde azulado. Contudo, AKASA, a “luz astral” ou “espírito”, tem a forma oval, cor de violeta escuro.

A partir destes cinco “Tattwas-Mães”, se formam outros vinte Tattwas secundários. Para tanto, basta acrescentar-se a cada “tattwa-mãe” uma versão reduzida de um dos outros quatro.
Por exemplo, o “PRITHIVI de TEJAS”, o aspecto terrenal do fogo, estaria representado por um grande triângulo eqüilátero vermelho, com um pequeno quadrado amarelo central.

PRITHIVI DE TEJAS

Por analogia, já o aspecto fogoso da terra, o TEJAS de PRITHIVI, seria, por sua vez, representado por um grande quadrado amarelo, guardando em seu centro um pequeno triângulo vermelho.

Um dos primeiros exercícios de um antigo membro da Golden Dawn seria exatamente preparar suas próprias cartas Tattwa, as cinco principais e as vinte secundárias. Depois, escolhia uma delas para sua primeira experiência de projeção astral. Então, ele olhava fixamente a carta escolhida até que qualquer outro fator desaparecesse da sua consciência. Atingido este limiar (parece simples , mas exige bastante treinamento) ele fazia uso de sua “imaginação mágica” e transformava a carta numa ampla porta, às vezes descrita como “uma cortina bordada”. Neste ponto, ele usando da sua VONTADE, abria a “porta” para poder “atravessá-la” e experimentava uma “visão astral”.

Entretanto, se quisermos usar termos mais modernos, diremos que ele experimentava uma "alucinação controlada" (e muito enriquecedora), terapêutica e psicologicamente significativa.

Convém acrescentar, que aqueles que experimentaram estas visões asseguram que:

• A natureza da visão experimentada apresenta autêntica relação com o símbolo empregado. Por exemplo, utilizando-se um Tattwa da água (APAS), costuma-se vivenciar uma visão “aquática”.

• Quanto mais se usa esta técnica, mais reais tornam-se as “visões”. “No início — relata o novelista J.W. Brodie-Innes em manuscrito da Golden Dawn dedicado à visão Tattwa — é como se tudo o que se percebe não fosse mais do que um produto da imaginação, composto a base de fragmentos de recordações, idéias alheias encontradas em livros, ilustrações, etc., para elaborar com tudo isto uma imagem conjunta. Mas, ao adquirir maior experiência, logo compreendemos que este “novo país”, do qual adquirimos consciência, possui suas próprias “leis naturais”, como as do mundo material. Ou seja: não se pode criar ou destruir a “visão da vontade”.As mesmas causas produzem os mesmos resultados e acabamos reparando que não somos mais que meros expectadores e, de modo algum, um criador.”

O emprego dos símbolos Tattwa era o primeiro passo do adepto na exploração astral. Só uma vez dominados, começava a usar símbolos mais complexos: os 22 Arcanos Maiores do tarot, desenhados pela ordem, os selos? figuras geométricas? que os grimórios atribuíam a diversos espíritos e , por último, as “pirâmides enoquianas”, uma adaptação de McGregor Mathers da magia enoquiana de Dee ( que deveriam ser invocadas, segundo John Dee, por meio de uma “linguagem” especial, que lhe teria sido fornecida pelos “anjos”.

 

Contudo, você também poderá preparar suas cartas Tattwa, usando o mesmo sistema de cores. Basta algum cuidado e mão firme, folhas de papel cartão nas cores indicadas, régua, esquadros, um lápis, uma tesoura afiada e cola branca. Pronto.Ficará perfeito.Ou tambem imprimir as fotoscartas abaixo dando um aspecto e formato de baralho,lembre-se sem imaginação fé e insistencia muita perseverança e que temos algum resultado em nossas experiencias e realizações. 

AS 25 INCRÍVEIS CARTAS TATTWA 

Tattvas
APRENDA COMO FAZER, SEUS NOMES E PARA QUE SERVEM. SIGA EM FRENTE!!

Nenhum comentário: