sexta-feira, 15 de julho de 2011

Festival de pesca em Argungu - Nigeria

Festival de pesca em Argungu - Nigeria

Argungu

.
m filme épico ou uma assombrosa visão surreal, assim é a reação das pessoas diante do Festival de Pesca de Argungu ( “ar-GOON-goo”), uma cidade ribeirinha no Estado Kebbi, na Nigéria.
A concorrência é o destaque da festa e a principal atração turística da região. Pescadores saltam em um rio e têm uma hora para capturar o maior peixe para receber um grande prêmio em dinheiro. Estima-se em 30 mil concorrentes. Porém, Este ano o rio foi interditado para o festival devido o baixo nível da água e a lama acumulada,gerando muita confusão. Afinal, o trecho do Rio Argungu onde ocorre a pesca é protegido durante todo o ano, de modo que os peixes serão abundantes para este momento de frenesi.
O evento acontece normalmente em março, no entanto, além da proibição da pesca, o recenseamento e a morte do sultão de Sokoto, o líder espiritual dos muçulmanos da Nigéria,em um acidente avião, contribuiram para o adiamento do embate.
O Festival de Pesca de Argungu teve início em 1934 – e foi usado para marcar a paz entre os antigos Sokoto Caliphate e do Reino Kebbi. Os dois impérios haviam lutado ao longo de séculos, e as hostilidades só cessaram com a chegada dos britânicos.
A concorrência é normalmente o culminar de um período de quatro dias de manifestação cultural.
.
Durante quatro dias os nigerianos se reúnem pra celebrar suas tradições no maior festival do país, o Festival de pesca.

Este colorido festival acontece em Argungu, cidade á beira-rio no estado de Kebbi, aproximadamente a 6 milhas de Sokoto. 
O Festival de Argungu começou há quase 70 anos para celebrar a paz entre dois antigos inimigos: o emir de Sokoto e o sultão de Kebbi, que começou a ser celebrado em agosto de 1934 quando o Sultão Dan Um’azu fez uma visita histórica. 

Os dois impérios lutaram durante séculos. A guerra só terminou quando os ingleses colonizaram o país.Em sua homenagem, organizaram um grande festival de pesqueiros. Desde então,se transformou em um famoso evento anual realizado entre fevereiro e março. 

Durante o festival, parece que toda Nigéria se muda pra cidade de Argungu. Ali reencontramos uma África que parece um país saído da imaginação.
Centenas de homens e meninos do local pulam na água, munidos de grandes redes e cabaças.

Eles são acompanhados por canoas cheias de percussionistas, e por homens que sacodem suas enormes cabaças cheias de sementes para direcionar os peixes dentro do rio.
São varias qualidades de peixes, desde o gigante Poleiro do Nilo até o curioso Peixe de Balão. 



Além disso, há uma corrida de canoas, caça ao pato selvagem, pesca com a mão, competição de mergulho e naturalmente, natação. 
A competição de arco e flecha cuja tradição é milenar. As roupas, feitas de uma fibra vegetal, só podem ser usadas em cerimônias especiais. Cada participante tem que identificar a própria flecha. Os arqueiros representam as várias regiões do país, cada um tem seu estilo.



Algumas competições são curiosas. Numa delas, quem deixar o vaso cair está fora. Além disso ha revezamento com bastão, nadar de olhos vendados, caçar pato selvagem e canoagem. 
Depois, a festa segue noite adentro com beberes,danças e cantos.


A sensação que se tem é que todo o continente africano está la. Kebbi, a cidade onde acontece o festival se transforma.
À noite o festival relembra a arte nigeriana. Durante o dia, é celebrado o espírito guerreiro do povo africano. 


Todas as regiões da Nigéria participam do festival através da música, do teatro e da dança.
Um grupo da cidade de Kano mostra uma dança típica acrobática.
As marcas cortadas no rosto de alguns homens são símbolos de sua origem tribal. Marcas que impressionam.

No quarto dia acontecem as competições aquáticas e o Festival de Argungu começa a se transformar. 
No dia da competição de pesca, mais de 15 mil nigerianos vão participar. Eles começam a chegar muito cedo. Primeiro fazem uma concentração, ficam ao lado do rio esperando que os guardas, que estão do outro lado, dêem o tiro pra começar a competição. 
Para pescar usam uma cabaça, que usam para flutuar, e quando pegam o peixe, guardam dentro desta bola, isso é, caso o peixe não for muito grande. Esse tipo de pesca é tradição na Nigéria que fazem questão de cultuar. 



O tiro de revólver é o sinal para que os pescadores possam entrar no rio. 
O Rio Matan Fada é pequeno e, nessa época do ano, o nível da água baixa muito por causa da seca e os peixes ficam presos na vegetação.
Os pescadores acreditam que este rio é sagrado por causa da quantidade de peixes.

A chegada de cavaleiros da guarda real , após terem atravessado a cidade de Kebbi, anuncia o último dia da festa.


Um comentário:

ARAPONGAMALLUCO disse...

Muito FERA isso. POVO LINDO E UNIDO.